28 de out de 2010

Retrato do amor

Anjo meu...

Minha felicidade perdida.

És o silencio que me acalma,

Parte única de uma vida...

És o exemplo de mulher,

Resgate...

De uma saudade sofrida.


És mãe...

Perfeita fonte de calor,

Sublime paz no olhar.

Dá-me o fruto do teu amor,

Carregue a filha que não tive,

Imploro-te... Por favor.


És menina...

O amor que sempre sonhei,

Atenda o apelo dessas lagrimas.

Traz-me a filha...

Que sempre desejei.

Maria Eduarda vou chamá-la...

Herança que a ti eu deixarei,

O retrato da mãe ela seria...


A linda mulher...

Que sempre amei...

5 comentários:

Sol Pelegrino disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Cléo disse...

Oi Marquinhos...
Olha eu aqui outra véz lendo sua lindas poesias...
Adoroooooooooooooooooooooo
Bjs e continue assim, esta pessoa com tanta sensibilidade..
Ah, música linda tbm.
Parabéns
Adoro vc...
bjs

Cléo

Yone Piras Leite da Silva disse...

Lindo lindo!!
Um texto tão sensível assim... é imperdível.
Feliz de quem o compreende (o texto).
A grandiosidade humana é maravilhosa.
Para aqueles que ainda não perceberam, tá na hora de A-COR-DAR e dar cor a vida.
Parabéns e grata por compartilhar conosco, seja sempre assim!

SiL.. disse...

Esse é muito importante. ..uma pena....s....amooooo esse.... s....

SiL.. disse...

♥️