15 de nov de 2010

Alma Desolada

Despedaço todos os meus sonhos

Ao supor a tua ausência

Eu refaço todos os meus passos

Diante dos fracassos em demência...


Embebedo minha alma amante

Ao delinear tua imagem em mim

Seguro o desenho de um beijo

Com desejo amo-te assim...


Declamo os teus olhos de vida

Ao citar o soneto das mãos,

Uma lágrima banha meu rosto

Tão suposto como pulsa o coração...


Cantarei ao mundo o teu sorriso

Ao tocar tua boca desejada,

O tremor me toma a alma

Tão calma, jaz descompassada...


Eis uma vida que era tua

Hoje tão fria quanto

A rua... alma nua,

Desolada...


Um comentário:

haidee disse...

ESTOU EM EXTASE COM TANTO AMOR QUE EXISTE NESSAS POESIAS VOCE E LUZ PARABENS MARCOS ME EMBRIAGUEI COM CADA PALAVRA BJSSSSSSSSSSSSSSSSSSS